• The EPI Foundation

Andrew Crichton

O nosso Amigo do Mês de Outubro é outro novo membro da equipa da Fundação EPI. Andrew Crichton, residente na África do Sul, acaba de assumir o cargo de Chefe de Operações.


Andrew na área da Grande Kruger, África do Sul.

Conte-nos um pouco sobre a sua infância e como surgiu o interesse pela área de conservação?

Eu cresci entre o Zimbábue e a África do Sul. A minha família era agricultora e passamos muito tempo na zona rural do Zimbábue - o país parecia vasto e intocado quando criança e lembro-me de dizer aos meus pais que queria viver no meio do mato quando crescesse. Fiquei hipnotizado pela beleza da paisagem. Essa paixão cresceu quando visitei áreas protegidas de classe mundial na África do Sul. Tudo, desde os parques de Kruger, Hluhluwe-iMfolozi, o Waterberg e tantos outros. Tive a sorte de estar imerso nesses lugares selvagens, e sua fauna, ao longo dos meus anos de formação, e isso deixou uma impressão duradoura em mim.


Passou algum tempo no Exército Britânico ... foi uma ajuda ou um obstáculo para seguir carreira no sector de conservação?!

O meu período como oficial destacado foi fantástico. Deu-me a oportunidade de aprender muito mais sobre mim, sobre os outros e o mundo ao nosso redor. As habilidades aprimoradas naquela época foram uma mais-valia para o meu trabalho no sector de conservação. Habilidades de gestão de projectos, competências pessoais e estilo de vida activo foram qualidades directamente transferíveis. Na verdade, eu encorajaria fortemente o pessoal fora do activo a considerar uma segunda carreira na selva!


O que considera como uma contribuição exclusiva que a EPI pode cooperar para a conservação dos elefantes?

Como uma aliança pan-africana de estados-membros, a EPI está em posição única de proteger, conservar e administrar os elefantes em todo o seu habitat. Como sabemos, os elefantes (e outras espécies) não reconhecem e não sabem lidar com as barreiras impostas pelo homem. Precisamos de abordagens transfronteiriças para salvar esses animais magníficos. A EPI já tem trabalhado nesse sentido, com o lançamento de Planos Nacionais de Acção para Elefantes, o nosso Sistema de Gestão de Reservas de código aberto, Procedimentos Operacionais Padrão para a gestão do Marfim e outros produtos da vida selvagem e a nossa Estratégia para o Conflito Homem-Elefante recentemente lançada.


Andrew no Kruger, África do Sul.

Frequentemente perguntamos aos entrevistados sobre os lugares mais memoráveis onde deslumbraram a vida selvagem. Vamos fazer o contrário este mês e perguntar quais são alguns dos lugares especiais em África onde se pode ver elefantes que sempre sonhou em visitar, mas ainda não teve a oportunidade de fazê-lo?

Tive a sorte de viajar por toda a África no curso de minha vida pessoal, militar e carreiras na área de conservação. No entanto, apesar de viajar pela África Ocidental e Central, ainda estou por ver um Elefante da Floresta! Eu adoraria ver esses animais, recentemente identificados como uma subespécie separada e criticamente ameaçada de extinção, na natureza. Estou entusiasmado pelo facto da Fundação EPI estar a organizar um evento especial sobre Elefantes da Floresta, programado para Janeiro de 2022, que incluirão figuras políticas importantes e profissionais da área de conservação da região.


Joanesburgo é a sua casa. Se tivesse um fim de semana livre para ir ao mato, qual seria a sua folga perfeita?

O paraíso da savana da paisagem do Grande Kruger fica a apenas à 5 horas de carro (em termos da África do Sul!). Tento lá ir algumas vezes ao ano - é o local perfeito para relaxar e ver os elefantes passarem enquanto desfrutamos do café-da-manhã ou enquanto preparamos o churrasco (braai) à noite.