• The EPI Foundation

Miles Zidana

O Nosso Amigo do mês de Janeiro é o Miles Zidana, Chefe de Investigações no Departamento de Parques Nacionais e Vida Selvagem do Maláui (DNPW).


Quão confiante se sente em relação ao futuro dos elefantes do Maláui?

Estou confiante porque impusemos penas mais rígidas para as violações das leis referentes à vida selvagem e melhoramos a colaboração com outras agências de aplicação da lei no combate ao comércio ilegal de vida selvagem


Hoje em dia, ouvimos muito sobre o conflito humano-elefante. Claro, é um problema muito difícil de resolver, mas, de acordo com a sua experiência, quais são algumas formas eficazes de mitigar tal conflito?

A vedação de arame, seja ela movida a energia solar ou de arame trançado, ajuda a manter os animais problemáticos longe das pessoas e de suas propriedades. A vedação deve ser complementada por programas de consciencialização e sensibilização. Mas também precisamos planear com antecedência, plantando safras e mantendo o gado em áreas que são menos acessíveis aos elefantes problemáticos.


Vamos voltar no tempo - onde cresceu e como se interessou pela conservação da natureza?

Eu nasci e fui criado em uma pequena cidade chamada Mangochi no Lago Malawi. Meu pai era um guarda florestal, que vivia e trabalhava em áreas remotas. Foi assim que me interessei pela conservação. Meu pai também tinha amigos na conservação, então isso foi útil quando chegou a altura de procurar um emprego para mim. Pessoalmente, gosto da vida no mato.


Qual é a sua ideia de férias perfeitas?

Gosto de nadar no Lago Malawi com os filhos das minhas irmãs. E levar a minha família para verem os elefantes.


2020 foi um ano muito difícil para muitas pessoas. Pode dar-nos um motivo para sermos mais optimistas em relação a 2021?

Sim, de facto, foi difícil realizar as operações para cumprimento da lei em 2020 devido ao surto da Covid 19. Podemos ver populações de elefantes afectadas negativamente pela caça furtiva em áreas onde a pandemia ainda prevalece em África mas acredito que as coisas voltarão ao normal em 2021.


Miles com sua família no Lago Malawi